30 setembro, 2012

S.A.R D. Christine e Dom Rafael prestigiam o projeto social “Violões do Forte”


O projeto  “Violões do Forte”, no Forte de Copacabana, Posto 6, promoveu um evento no dia 22 de setembro de 2012, ao qual comparereceram. D. Christine de Lignes, esposa de D. Antonio de Orleans e Bragança, e seu filho, D. Rafael. O projeto envolve a integração social de jovens e, através da música, difunde cultura e imprime um caráter disciplinar aos integrantes do grupo. Tomando conhecimento do evento quando da entrega da medalha Mérito Granadeiro do Imperador a D. Antonio, em 14/09, D. Christine manifestou imediatamente interesse, sendo logo convidada pela diretora, Marcia Melchior. Além de seu filho, D. Rafael, D. Christine se fez acompanhar do Chanceler do Círculo Monárquico do Rio de Janeiro, Ohannes Kadberian.



Junte-se a nós no Facebook Círculo Monárquico do Rio de Janeiro
ou digite na janela de busca Círculo Monárquico do Rio de Janeiro e peça para ser adicionado 

28 setembro, 2012

Lançamento de "Psicose Ambientalista" de D. Bertrand de Orleans e Bragança


Após a sessão será servido um coquetel, dutante o qual, S.A.I.R. Dom Bertrand de Orleans e Bragança, concederá autógrafos.

Abaixo, conferência de Nelson Gomes Barretto, durante o  XXII Encontro Monárquico (30/06/2012):
"O Cavalo de Tróia do Ambientalismo" 


Uma outra teoria sobre o aquecimento global, baseada nos interesses  multi-milionários de empresas que "vendem soluções" para o problema,  foi apresentada no programa "Teoria da Conspiração", de Jesse Ventura, ex-governador do estado de Minnesota, EUA, de 1999 até 2003. 
Tradução da introdução:
O aquecimento global é real ou não? Algumas pessoas podem estar usando a questão para ganhar bilhões de dólares, iniciar um governo mundial e controlar vidas humanas. Através de uma  investigação abrangente, Jesse  Ventura descobre evidências que poderiam apontar para um homem, que estaria por trás da conspiração sobre o aquecimento global. No programa a opinião de especialistas de destaque e testemunhas oculares: Lorde Christopher Monckton, político britânico, consultor de negócios, conselheiro político, escritor e inventor, que não concorda com o consenso científico sobre o aquecimento global; Richard Lindzen,  físico atmosférico, professor de meteorologia no MIT e escritor, que alega pressão política sobre a questão; Amit Chaterjee, fundador e Diretor da Hara Software, uma empresa ambientalista  apoiada em parte pelo capital do empreendimento de Al Gore; Ben Santer, pesquisador do clima no Lawrence Livermore National Laboratory, Noel Sheppard, editor associado da NewsBusters.org e crítico ferrenho do aquecimento mundial; "Dr. X ", um eminente climatologista que quer proteger sua identidade por questões de segurança pessoal e de sua família; George Hunt, informante da ONU e escritor, e Martin Durkin, produtor do Canal 4 do Reino Unido e diretor do documentário “A Grande Fraude do Aquecimento Global”.


Para ver as legendas em português: 1) Após clicar na na seta no meio da tela, dê pause e clique no balão na base da tela 2) clique em Inglês (transcrito) 3) clique novamente no balão 4) clique em traduzir legendas 5) clique em Africânner e desça até Português 6) clique em OK. (como se trata de uma tradução virtual, não é precisa, sendo até mesmo confusa, mas permite acompanhar as principais idéias apresentadas no programa.

Junte-se a nós no Facebook Círculo Monárquico do Rio de Janeiro https://www.facebook.com/circulomonarquicodo.riodejaneiro ou Digite na janela de busca Círculo Monárquico do Rio de Janeiro e peça para ser adicionado

D. Antonio nos 159 anos da Polícia Civil, da 6ª SDP de Foz do Iguaçu


O encerramento das festividades alusivas aos 159 anos da Polícia Civil, da 6ª SDP de Foz do Iguaçu, chefiada pelo delegado de polícia Rogério Antonio Lopes, contou com a presença de um personagem ilustre. Dom Antonio João Orleans de Bragança, que é tataraneto do Imperador de D. Pedro II, que em 28 de setembro de 1853, através do Decreto nº 1237, criou o cargo de Chefe de Polícia na Província do Estado do Paraná. 
Dom Antonio foi recebido pela manhã por uma seleta comitiva no aeroporto internacional de Foz do Iguaçu e logo a seguir foi homenageado com um almoço.
No período da tarde, o príncipe foi recepcionado pela direção da UNIFOZ, em que conheceu as suas instalações e conversou sobre vários temas inerentes a educação e atendeu inúmeros acadêmicos que pediram para tirar fotos ao seu lado. 
Na sede da 6º Subdivisão Policial, realizou um périplo pelo seu interior ciceroneado pelos delegados de polícia daquela unidade policial, e a seguir foi convidado a comparecer a sala de gestão, onde uma plateia composta de empresários, políticos, educadores, religiosos de várias denominações, promotores de Justiça, universitários, maçons e servidores públicos o aguardavam para  homenageá-lo. 
Na continuidade, o delegado de polícia Rogério Lopes, fez um breve relato da História da Polícia Civil do Paraná e, por extensão, enalteceu em nome de toda a Polícia Civil o feito do Imperador D. Pedro II. 
Na sequencia, o delegado chefe da Divisão de Crimes contra o Patrimônio de Curitiba, Luiz Carlos de Oliveira, fez a entrega do livro que narra o histórico da Polícia Civil paranaense de autoria do professor Ernani Costa Straube e da bandeira da instituição. 
Posteriormente, Dom Antonio, retribuiu com um livro que conta a trajetória da família real no Brasil. Ato contínuo, num breve relato, o príncipe agradeceu emocionado a homenagem que estava sendo alvo da policiai civil, e disse que  se sentia orgulhoso por ter morado na companhia dos seus pais na cidade de Jacarezinho (PR). Na sua fala final, Dom Antonio afirmou: “Os policiais são os cavaleiros de hoje que arriscam a própria vida em defesa da população e com eles quero compartilhar essa homenagem”.
Fonte: ParanáOn-line
Junte-se a nós no Facebook Círculo Monárquico do Rio de Janeiro https://www.facebook.com/circulomonarquicodo.riodejaneiro 
ou digite na janela de busca Círculo Monárquico do Rio de Janeiro e peça para ser adicionado

22 setembro, 2012

Deu no "Globo" de hoje:"Fôlego jovem para a Monarquia"


Junte-se a nós no Facebook Círculo Monárquico do Rio de Janeiro
ou digite na janela de busca Círculo Monárquico do Rio de Janeiro e peça para ser adicionado 

20 setembro, 2012

Comandante do "Batalhão do Imperador" reafirma fidelidade a D.Pedro I

Duranta a cerimônia de entrega da Medalha Mérito Granadeiro do Imperador, com a qual S.A.R. D. Antonio de Orleans e Bragança foi agraciado, o Coronel Alfredo Bottino, Comandante do 1º Batalhão de Guardas, o "Batalhão do Imperador", em São Cristóvão, em discurso patriótico, reafirmou lealdade a D. Pedro I, exaltando sua figura como político e militar.



Vídeo dos principais momentos da entrega a S.A.R. D. Antonio de Orleans e Bragança da Medalha Mérito Granadeiro do Imperador
                                                                   
 S.A.R D. Antonio de Orleans e Bragança foi agraciado com a Medalha Mérito do Granadeiro do Imperador.
Slideshow com novas fotos do evento


Created with flickr slideshow.

(clique na barra preta acima para dar pause o alterar a velocidade)

SLIDESHOW EM TELA CHEIA



Abaixo, em detalhe o capacete visto na foto acima

Capacete da Imperial Guarda de Honra, oficializada através do decreto de 1º de dezembro de 1822.




Junte-se a nós no Facebook Círculo Monárquico do Rio de Janeiro 
ou digite na janela de busca Círculo Monárquico do Rio de Janeiro e peça para ser adicionado

14 setembro, 2012

D. Antonio recebe Medalha Mérito Granadeiro do Imperador

Hoje, 14 de setembro de 2012, S.A.R D. Antonio de Orleans e Bragança foi agraciado com a Medalha Mérito do Granadeiro do Imperador.


 A solenidade ocorreu às 09:00 hrs no 1º Batalhão de Guardas
 o "Batalhão do Imperador"




SOBRE A MEDALHA
http://www.revistaoperacional.com.br/1bg/?page_id=140


Created with flickr slideshow.

(clique na parte superior dos slideshow para dar pausa ou alterar velocidade)

Abaixo, o brasão do 1º Batalhão de Guardas, o "Batalhão do Imperador"


13 setembro, 2012

Ministro, medalhista e ator revivem Grito do Ipiranga


 Cavalgada da Independência reproduziu a viagem histórica de Dom Pedro I entre a Baixada Santista e as margens do Ipiranga. O ator Eriberto Leão representou o papel de D. Pedro I durante a cerimônia. O Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, experiente cavaleiro, percorreu o trajeto inteiro de Cubatão até São Paulo.  A militar e atleta Yane Marques também participou do trajeto e da cerimônia do Grito do Ipiranga. O encerramento da cerimônia culminou com a encenação do Grito do Ipiranga, momento histórico da proclamação da independência.




 






12 setembro, 2012

S.A.R. D. ANTONIO E D. CHRISTINE HOMENAGEADOS NO 7 DE SETEMBRO

No dia 7 de setembro de 2012, em Brasília, o renomado monarquista e intelectual de relevo, Professor Ibsen Noronha, foi anfitrião do 6º Recital da Independência, ocasião em que recebeu os Príncipes Dom Antonio e Dona Christine de Orleans e Bragança, além de muitos amigos monarquistas e autoridades para celebrar os 190 da Independência do Brasil.  

Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil, é recebido pelo Governo do Estado do Maranhão em comemoração aos 400 anos de São Luís

Na quinta-feira, 08/09/2012, o Príncipe foi recebido por autoridades e membros do comitê organizador dos festejos pelos 400 anos de São Luís do Maranhão, sendo a ele oferecido jantar, homenageando-o. 
Na noite de sexta-feira (07/09/2012), a Governadora do Maranhão recebeu no Palácio dos Leões, o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança. 
O evento, que contou com a presença de autoridades locais e também do Embaixador da França no Brasil, Senhor Yves Saint - Geours, marcou os 400 anos de São Luís, cidade fundada por franceses em 1612. 
Do balcão central do Palácio, os convidados puderam assistir as atrações que abrilhantaram a noite. Confira as imagens do site oficial do Governo do Estado do Maranhão:


No sábado, 08/09/2012, Dom Bertrand palestrou em São Luís, sobre a Liberdade, Propriedade e Vida, no lançamento do Expresso Liberdade, uma organização apartidária, dedicada a promover estudos econômicos, culturais e políticos, baseados justamente nos valores de Liberdade, Propriedade e Vida. 
(No vídeo, Dom Bertrand, que São Luís, o Rei Santo, cujo nome foi batizada a cidade, é seu antepassado)
Fonte:MONARQUIA JÁ

SLIDESHOW DE FOTOS DE D. PEDRO II E DA FAMÍLIA IMPERIAL


Created with flickr slideshow.


PARA DAR PAUSE OU ALTERAR A VELOCIDADE CLIQUE O MOUSE NO TOPO DA JANELA

PARA VER AS IMAGENS EM SEU TAMANHO ORIGINAL CLIQUE NO LINK ABAIXO  E, NO CANTO SUPERIOR DIREITO CLIQUE EM "OPÇÕES" E DESMARQUE A CAIXA "AMPLIAR OBJETOS"
http://www.flickr.com/photos/circulomonarquicorio/sets/72157631511496097/show/

VER AS NOVAS COLEÇÕES EM NOSSO ACERVO DE FOTOS

http://fotoscirculomonarquicorj.blogspot.com.br/

MAIS DE 1500 FOTOS
14 ÁLBUNS DA COLEÇÃO CÍRCULO MONÁRQUICO RJ

56 ÁLBUNS DA COLEÇÃO IDENTIDADE IMPERIAL


FOTO DESTAQUE:
D. PEDRO HENRIQUE, PAI DA ATUAL GERAÇÃO DE PRÍNCIPES DA FAMÍLIA IMPERIAL BRASILEIRA,  NO COLO DA PRINCESA ISABEL



09 setembro, 2012

Presença de D. Bertrand no evento comemorativo do 7 setembro em São João del Rey


No dia em que o Brasil comemorou 190 Anos de Independência, estando Dom Bertrand em São Luís do Maranhão, o Príncipe compareceu a Parada Militar comemorativa a Independência, sendo homenageado posteriormente pela Associação Católica Ad Maiorem Dei Gloriam, que organizou um almoço em sua honra. Entre os assuntos discutidos, estavam a monarquia e a fé católica. O grupo também falou sobre São Luís, Rei e Santo, que emprestou seu nome a capital do Maranhão e sobre a celebração da Missa na forma extraordinária, além de assuntos da atualidade maranhense e do país.
A noite, no Palácio dos Leões – local onde em 1612 foi erguido o Forte de São Luís – que deu origem ao nome da cidade, o Príncipe Imperial foi recebido pela governadora do Estado do Maranhão, Roseana Sarney.

06 setembro, 2012

Novo lançamento: "Maria da Glória - A Princesa Brasileira que se tornou rainha de Portugal"


Carioca da gema - por Albino Castro
Chega às livrarias brasileiras neste final de inverno o mais celebrado e instigante romance histórico português deste ano, Maria da Glória – A Princesa brasileira que se tornou Rainha de Portugal, da escritora e jornalista Isabel Stiwell, que reconstitui, através da farta documentação epistolar a que teve acesso, a vida de Dona Maria II, soberana portuguesa, de 1834 a 1853, carioca da gema, nascida em 1819 no Palácio de São Cristóvão, bairro imperial do Rio de Janeiro, filha de D. Pedro - que cá é I e lá é IV. O novo trabalho da autora portuguesa foi publicado no primeiro semestre em Lisboa pela Editora Esfera dos Livros, com o título "Dona Maria II – Tudo por um Reino", e o lançamento aqui é da Editora Octavo. A obra de 683 páginas, que os franceses qualificariam de um roman fleuve, também pode ser encontrada na Majestatis (www.majestatis.com.br), livraria virtual coordenada pelo monarquista Jean Tamazato. Dona Maria II morreria ainda muito jovem, aos 34 anos, ao dar a luz ao 11º filho. Dois de seus herdeiros chegaram ao trono português, o primogênito, D. Pedro V (1837 – 1861), e D. Luís I (1838 – 1889).
Foram soberanos, simultaneamente, ao Norte e ao Sul do Atlântico, dois dos filhos de D. Pedro com Dona Maria Lepoldina (1797 – 1826), arquiduquesa austríaca filha do Imperador Francisco I de Viena – em Lisboa estava Dona Maria II e no Rio de Janeiro o seu irmão mais jovem, D. Pedro II (1825 – 1891), iluminado imperador brasileiro, ambos bisnetos de Dona Maria I (1734 – 1816), a Piedosa, e netos de D. João VI (1767 – 1826). A Rainha carioca de Portugal enfrentou grandes obstáculos desde quando deixou o Brasil, em 1828, devido à morte da mãe, e foi estudar por dois anos na Áustria. Residiria também em Londres, onde se tornaria amiga da futura Rainha Vitória (1819 – 1901), e só veria pela primeira vez a paisagem lusitana aos 14 anos, em 1833, quando o seu pai à frente das forças liberais do Porto, juntamente com os aliados açorianos da Ilha Terceira, ainda combatia as tropas leais ao seu tio, o Rei D. Miguel (1802 – 1866) – este havia desistido de ser casar com a sobrinha Maria da Glória, a quem D. Pedro oferecera a mão. D. Miguel, encorajado pela própria mãe, a espanhola Dona Carlota Joaquina, se batia pela Coroa portuguesa, já que ao irmão, por determinação de D. João VI, cabia o trono imperial brasileiro.
O reinado de Dona Maria II teria inicio após a morte do pai, D. Pedro, em 24 de setembro de 1834, às vésperas de completar 36 anos, vítima de tuberculose, nos aposentos no Palácio Real de Queluz – os restos mortais foram trasladados em 1972 para o Rio de Janeiro, porém, o seu coração continua na Igreja da Lapa, no Porto. (Ver postagem: http://www.circulomonarquicoriodejaneiro.org/2012/07/o-coracao-de-d-pedro-i-monarca-e.html ) Já no ano seguinte a Rainha portuguesa se casaria com o Príncipe alemão Augusto de Lenchtenberg, irmão de sua madrasta, Dona Amélia de Beauharnais, segunda esposa de D. Pedro, entretanto, ela enviuvaria dois meses depois – voltando a se casar em 1836 com o Príncipe Fernando de Saxe-Coburgo-Gotha, pai de seus onze filhos. Numa das cartas usadas para a construção da obra literária, a escritora Isabel Stiwell, que também é diretora do diário português Destak, primeiro jornal gratuito de Portugal, encontra um trecho no qual Dona Maria II afirma ser seu dever, apesar de Rainha, atender aos caprichos e desejos do marido e, por isso, teria engravidado tantas vezes. Voltada às obrigações de esposa e de soberana de um Império em crise, após a perda do Brasil, o mais rico e precioso de seus territórios, a Rainha carioca morreria sem por novamente os pés no seu amado Rio de Janeiro de uma infância tropical nos salões e jardins do Palácio de São Cristóvão.

Livraria virtual Majestatis (www.majestatis.com.br)

04 setembro, 2012

A arte da Princesa "Lelli" de Orleans e Bragança

(enviado por Jean Menezes do Carmos) 

SLIDESHOW COM PINTURAS E MURAIS ARTÍSTICOS
Site oficial contendo mais imagens de pinturas e papéis de parede artísticos


Dona Maria Gabriela Doroteia Isabel Josefa Miguela Rafaela Gonzaga de Orléans e Bragança e Wittelsbach (Jundiaí do Sul, 14 de julho de 1959), princesa de Orléans e Bragança, cujo nome artístico é Lelli de Orléans e Bragança ou princesa Lelli de Orléans e Bragança, é uma pintora brasileira. Especialista em trompe l'oeil, costuma fazer restaurações de casas e prédios históricos.
D. Maria Gabriela, ou Lelli, vem a ser a décima segunda filha e quarta varoa de D. Pedro Henrique de Orléans e Bragança, ex-chefe da Casa Imperial do Brasil, e de Maria Isabel da Baviera, imperatriz-mãe do Brasil. É irmã gêmea de D. Maria Teresa de Orléans e Bragança.
Licenciada, desde 1982, em Técnicas Audiovisuais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Pintora, especialista em trompe l'oeil, costuma fazer restaurações de casas e prédios históricos. Sendo conhecida nos meios artísticos como Lelli de Orléans e Bragança ou princesa Lelli de Orléans e Bragança.

03 setembro, 2012

Homenagem a D. Gastão, Conde 'Eu - 05/09/2012

A Presidente do Instituto D. Isabel I,
Laila Vils,
tem a grata satisfação de divulgar
a homenagem ao 90º aniversário de morte de Dom Gastão (1842-1922),
Príncipe de Bourbon-Orleans e Conde d´Eu
Durante o evento, que contará com a presença do Príncipe Dom João Henrique de Orleans-e-Bragança, serão realizadas palestras.
5 de setembro de 2012 - 15h
Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro
Av. Augusto Severo, 8
Rio de Janeiro – RJ

INSTITUTO CULTURAL D. ISABEL I A REDENTORA
Rua dos Andradas, 29 / 701
Centro do Rio Antigo
20051-001 RIO DE JANEIRO – RJ
www.idisabel.org.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

OBRIGADO PELA VISITA